Monte suas máquinas com segurança

A segurança é uma das preocupações mais nobres que o projetista deve ter. A proteção à vida (e ao equipamento) deve estar na base de qualquer projeto. As normas NR10 e NR12 são importantíssimas para trazer essa conscientização e para aumentar o que consideramos aceitável. Se você quiser ver quais são minhas três dicas, leia abaixo.

24 VDC – Tensão Segura de Trabalho 

É engraçado eu escrever isso. A maior parte das máquinas produzidas no Brasil já são em 24V. Talvez eu tenha colocado aqui para explicar porque isso é importante.

A norma IEC, define um circuito SELV como “um sistema elétrico que a tensão não pode exceder 120 VDC ou 50VRMS em AC sob condições normais ou sob uma condição de falha, incluindo falta de terra”. Esta classe de circuito foi definida para melhorar a segurança das máquinas há muito tempo.

Já a NR12 é mais rigorosa e exige que a tensão do circuito seguro seja menor que 60 VDC ou 25 VAC. Na prática a maior parte dos equipamentos industriais são 24VDC. Existem alguns casos também em 12 e 48VDC.

E por que algumas empresas usam 110VAC no comando? As desculpas são as mais variadas, todas elas são facilmente derrubadas com tecnologias desenvolvidas nos últimos 20 anos.

∅ Desculpa: “Problemas com queda de tensão são menores em 110V e minhas aplicações tem mais de 200 m”.

⇒Solução: Sistemas distribuídos diminuem o comprimento dos cabos e eu tenho aplicações com cabos de 300m em 24V com queda de tensão de 4V.

 

∅ Desculpa: “Não posso usar 24V porque tenho muito mal contato”

⇒Solução: Neste caso o 110 rompe a rigidez dielétrica dos polos oxidados. É como dizer que para matar pernilongos (Poxa e nesse verão eles estão em todo lugar…) você deva colocar tanto veneno em casa que pode afetar a saúde dos seus filhos. Minha sugestão nesse contexto é procurar contatos melhores. Podemos escolher contatos banhados a prata ou ouro artificiais ou até diminuir a quantidade de ligações resolvem o problema, como veremos no próximo tópico.

Usar equipamentos de segurança

As normas oferecem duas possibilidades. Você pode usar equipamentos de segurança já certificados por algum órgão certificador ou equipamentos de mercado e você devem ler a norma e criar um laudo explicando porque aquele circuito ficou seguro. Por exemplo, quando uma chave é categoria 1 (segundo a ABNT NBR 14153) e você precisa atender a categoria 3, você precisa atender categoria 3, você deve justificar no laudo e apresentar o circuito. Se você usa uma chave categoria 3, você só precisa apresentar os certificados do produto.

Diagnose em tudo que for possível

Se o bom projeto é a mãe da Segurança, diagnose é o pai. Se a manutenção não tiver a informação correta vai realizar procedimentos imprudentes, vai alterar circuitos desnecessários e vai arriscar vidas humanas. Se você sabe que aconteceu um curto no circuito do sistema de lubrificação, não vai procurar no painel ou vice versa.

Pergunte para a Engenharia de Aplicação Murrelektronik, teremos um grande prazer em atendê-lo.

Se o botão não estiver funcionando Clique Aqui!

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *