IO-Link? O que é isso? Para que serve?

Conectar componentes analógicos no chão de fábrica sempre mereceu alguns cuidados a mais. Conectar componentes que precisam de configuração também. Agora, imagine se você pudesse conectar um medidor 4-20mA com um cabo comum de sensor? Se pudesse fazer o setup de um sensor ótico diretamente pelo software de  CLP sem precisar acessar o componente? Para questões  como estas surgiu o IO-Link.

 

O que é IO-Link? 

É um protocolo de comunicação de dados aberto capaz de comunicar sensores, atuadores e outros componentes preparados para este padrão. Forma uma rede ponto a ponto entre um componente (sensores, atuadores, pressostatos etc.) e um Master IO-Link(ponto no I/O remoto). Como dissemos é um padrão aberto e mundial, não sendo de controle de nenhum fabricante de componentes ou I/O Remotos.

O que o ele permite? Que você faça o setup, diagnóstico, teste ou comunicação de sinais digitais (24Vdc)ou de referências analógicas (de medidores, por exemplo) entre o I/O Remoto e o componente IO-Link utilizando um cabo comum (4 vias, conector M12, Sem malha) SEM  INTERFERÊNCIA HUMANA!

 

Os componentes IO-Link

Esses componentes trabalham com função setup, teste, diagnose e comunicação acionados à distância,  por exemplo, selecionados pelo CLP ou supervisório, comunicados pelo I/O Remoto IO-Link.

No caso de sensores mais complexos, como detectores óticos de marca para máquinas de embalagem ou pressostatos em um processo de produção, é possível ajustar suas 

referências diretamente pela programação do CLP ou mesmo registrar seus dados de referência para serem armazenados como evidência em controle de qualidade ou processos de rastreabilidade.

 

O I/O Remoto em conjunto com o IO-Link

Na mesma família dos conhecidos I/O Remotos (ou distribuidores ativos), existem modelos preparados para esta comunicação, dotados de Masters IO-link que se conectarão aos componentes IO-Link por intermédio de um simples cabo com conector M12.

Podem então formar pequenas redes ponto a ponto inteligentes ao longo da máquina ou equipamento, atuando de forma localizada em configurações e ajustes sem a necessidade de intervenção humana.

Estes I/O Remotos podem ter uma configuração mista, ou seja, possuir Entradas e Saídas Digitais e Masters IO-Link*. Assim, você conseguirá atuar de forma dedicada somente nos pontos necessários, reduzindo custos e otimizando aplicação.

*Um ponto IO-Link pode também ser utilizado como uma Entrada ou Saída Digital comum.

 

Quais as principais vantagens em adotar o IO-Link

Entre as vantagens de adoção dele podemos destacar:

  • Redução do tempo de setup em componentes de campo;
  • Redução de itens de estoque por simplificar a conexão de sensores, atuadores e outros componentes utilizando cabos com conector M12 para componentes complexos;
  • Redução de tempo e materiais gerais para instalação de componentes no corpo da máquina padronizando conexões;
  • Aumento da capacidade de diagnóstico de falhas elétricas nestes componentes.

 

Dicas infalíveis para reduzir custos com automação em máquinas. Cadastre-se!

 

Onde não aplicar o IO-Link?

Nem tudo são flores na aplicação dele. Esta rede não é recomendada para distâncias entre o I/O Remoto e o componente IO-Link maior que 20 metros e também não é indicada para comunicação que necessite de grande velocidade de atuação ou leitura.

 

Agora que está devidamente apresentado

Este é um assunto novo e não temos a pretensão de esgotar todas as possibilidades neste artigo. Nos próximos artigos iremos abordar novos aspectos da aplicação dele, fique de olho e acompanhe esta série!

Te convidamos também a fazer contato com a Engenharia de Aplicação da Murrelektronik para saber mais sobre as possibilidades de uso do IO-Link.

Se o botão não estiver funcionando Clique Aqui!

Facebooktwitterlinkedin

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.