automação de processos industriais

Automação de Processos Industriais — O que Muda com a Indústria 4.0?

O conceito de indústria 4.0 se baseia na ideia de que cybers sistemas totalmente informatizados não somente monitorem todo o processo fabril, mas também consigam armazenar dados, replicar o mundo físico e tomar decisões de maneira autônoma. Com isso, a automação de processos industriais, naturalmente, vem sofrendo mudanças. Quer saber mais? Continue neste artigo!

De onde surgiu o termo indústria 4.0?

A “quarta revolução industrial” — como também é conhecida a indústria 4.0 — teve início em um grande projeto tecnológico de origem alemã, que tinha como objetivo automatizar os processos de manufatura.

Para contextualização, podemos relembrar que nas revoluções industriais anteriores, passamos pela mecanização por meio do uso da água e energia a vapor, pela produção em massa com o auxílio da energia elétrica. Podemos relacionar a terceira revolução  com o uso abrangente da tecnologia da informação e equipamentos eletrônicos.

Por fim, temos o termo indústria 4.0, apresentado inicialmente na maior feira de automação industrial do mundo, a Feira de Hanover. Este ainda abrange mais dois conceitos: a internet das coisas e a computação em nuvem.

Conheça os princípios da indústria 4.0?

Os sistemas de automação de processos industriais com a implantação da tecnologia da indústria 4,0 tendem a surgir definidos por seis princípios, são eles:

    • operação em tempo real: diz respeito à análise de dados e tomada de decisões de forma instantânea;
    • interoperabilidade: é a capacidade dos sistemas ciber-físicos de se conectarem pela Internet das Coisas, bem como a computação em nuvem;

 

  • virtualização: a indústria 4.0 propõe a cópia virtual de fábricas inteligentes. Com isso, através de sensores na planta, consegue-se o rastreio e monitoramento remoto de todos os processos;
  • descentralização: consiste nas iniciativas que poderão ser tomadas pelo sistema cyber-físico conforme a necessidade exata da produção no momento. Além disso, os processos de produção serão aprimorados através dos módulos inteligentes que poderão atuar de forma descentralizada;
  • orientação a serviços: o conceito de Internet of Services, ou seja, a oferta de serviços por meio de computação em nuvem;
  • modularidade: aqui a produção funciona conforme sua demanda, através de acoplamento e desacoplamento de módulos. O que oferece flexibilidade para alterar as tarefas das máquinas facilmente.

 

Gostou de saber mais sobre o que muda na automação de processos industriais? Esperamos que sim! Para mais conteúdos deste tipo, continue acompanhando o blog da  Murreletronik.

Facebooktwitterlinkedin

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.