Automação Industrial

Entendendo (um pouco) o que é Automação Industrial – Parte 3

Como já vimos nos post anteriores, o objetivo da Automação Industrial é melhorar as condições de trabalho e de segurança das pessoas e dos equipamentos e aumentar a produtividade das empresas. O uso de equipamentos e a aplicação de soluções desenvolvidos em automação industrial tem uma forte repercussão principalmente no setor industrial.

Hoje no mercado, encontramos diversos equipamentos utilizados para automação industrial, porém, um dos mais importantes e foco do nosso post de hoje, é o controlador lógico programável (CLP).

Mas o que é um CLP?

A National Electrical Manufacturers Association (NEMA), define que um CLP é um “aparelho eletrônico digital que utiliza uma memória programável para o armazenamento interno de instruções para implementações específicas, tais como lógica, sequenciamento, temporização, contagem e aritmética, para controlar através de módulos de entrada e saída vários tipos de máquinas e processos”. Já para a Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT), CLP é um “equipamento eletrônico digital com hardware e software compatíveis com aplicações industriais”.

O CLP surgiu no final da década de 60 e revolucionou os comandos e controles industriais. Nessa época, a automação era realizada quase que exclusivamente por relés com base em lógica fixa, ou lógica hard-wired, o que resultava em enormes armários de relés eletromecânicos interligados por circuitos elétricos e extensas fiações.

Dick Morley, o inventor dos CLPs conta que no início era normal que os usuários quisessem confrontar a robustez do novo equipamento comparando-o com a solução convencional. Era comum que os clientes quisessem comprovar se ocorria algum dano depois de provocar uma queda de dois metros no equipamento ou testar seu funcionamento quando próximo a um arco voltaico, produzido por uma máquina de solda industrial. No início, o CLP teve que provar que era apto para realizar as tarefas mais árduas.

CLP X PLC

Certamente que você já se deparou com essas duas siglas e, assim como muitas pessoas, pode acabar pensando que CLP e PLC se tratam de dois equipamentos diferentes. Não se engane mais! As duas opções se tratam do mesmo equipamento, sendo a primeira sigla correspondente ao nome do equipamento em português e a segunda em inglês, ou seja, CLP (Controlador Lógico Programável) é o mesmo que PLC (Programmable Logic Controller).

PRINCÍPIO DE FUNCIONAMENTO

Um CLP é basicamente composto de dois módulos principais: uma CPU (unidade central de processamento) e os cartões de entradas e saídas digitais ou analógicas. Quando os sensores informam ao CLP, mudanças nas variáveis medidas do processo, este através do programa instalado em sua memória, atua no sistema por meio de suas saídas. As variáveis de saída do sistema executam, a cada instante, fechamentos de válvulas, acionamento de motores para execução de movimentos etc. (NATALE, 2000). O CLP processa o programa do usuário em ciclo fechado. O programa do usuário tem um inicio e um fim, o processador começa o processamento no início do programa e quando chega ao fim, atualiza as entradas e saídas e inicia novamente o processamento do programa.

As vantagens da utilização do CLP em aplicações industriais são inúmeras e cada dia surgem novas, que resultam em maior economia, superando o custo do equipamento. Essa evolução oferece grande número de benefícios, por exemplo:

  • Aumento na produtividade.
  • Otimização de espaço nas fábricas.
  • Melhora na qualidade do produto final.
  • Alto MTBF (“mean time between failures” = tempo médio entre falhas).
  • Baixo MTTR (“mean time to repair” = tempo de máquina parada).
  • Segurança maior para os operadores.
  • Redução no consumo de energia.
  • Menor quantidade de refugos.
  • Reutilização do cabeamento.
  • Interfaces de comunicação com outros CLPs e computadores.
  • Maior confiabilidade.
  • Fácil manutenção.
  • Maior rapidez na elaboração dos projetos
  • Maior flexibilidade, satisfazendo maior número de aplicações.

Espero que tenham gostado desse post da serie Entendendo (um pouco) o que é Automação Industrial – Parte 3 sobre CLP. Até o próximo post.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *