esteiras porta cabos

Esteiras porta cabos: do ponto A para o ponto B

Com o desenvolvimento das tecnologias e o crescimento da automação industrial, a utilização de fio, cabos e mangueiras se tornou se algo indispensável na construção de máquinas e equipamentos industriais.

Como as máquinas automatizadas fazem diversos tipos diferentes de movimentos a fim de obter ao máximo a produtividade e rapidez na indústria, e para isso utilizam muitos fios e cabos que transmitem sinais, dados ou potencia (energia), como também as mangueiras que levam ar ou fluidos como óleo aos equipamentos, normalmente esses movimentos saem de um ponto (A) para um ponto (B) várias vezes ao dia com diversas velocidades de avanço.

Esses cabos e mangueiras acompanham os movimentos das máquinas, mas para que tenham uma vida útil longa e sempre mantendo os movimentos contínuos e suaves, é preciso esteiras porta cabos.

As esteiras porta cabos, como o próprio nome diz, servem para organizar os cabos e mangueiras das máquinas, direcionando os movimentos sempre de um ponto (A) até um ponto (B).  Desde aplicações mais sensíveis até as mais robustas, seja um comprimento de um ou até mesmo mais de cem metros, as esteiras devem seguir exatamente o que demanda a aplicação, sem alterar o curso do deslocamento, isso é o maior desafio na construção de uma esteira porta cabos.

Como as aplicações são extremamente diversificadas, em muitos dos casos é necessário especificar esteiras de diferentes tamanhos, velocidades e instalações na mesma máquina, seja na altura dos elos, na largura, comprimento, raio de curvatura e até mesmo o material de construção, plástico ou alumínio.

Por ser um produto flexível em sua construção e de alta diversidade de configurações, os maiores problemas técnicos ocorrem quando a esteira não acompanha as mesmas propriedades dos cabos e mangueiras que nela serão instalados, ou seja, quando o raio de curvatura não é o mesmo que os dos cabos ou mangueiras, quando a quantidade de cabos e mangueiras extrapolam a largura da esteira, tão quanto o peso e também a disposição dos cabos e mangueiras dentro da esteiras, fazem com que alguns problemas técnicos possam ocorrer, tais como, a esteira cair da calha guia por estar desbalanceada devido ao peso ou ao desequilíbrio na instalação dos cabos, pode forçar os cabos gerando stress no produto, pode também gerar trepidação, ruídos podendo ocorrer a quebra da esteira ou até mesmo dos cabos e mangueiras, gerando diversos problemas ao usuário do produto, inclusive de paradas de máquinas ou a produção, comprometendo todo processo fabril.

Por outro lado, uma esteira quando bem especificada, faz com que o processo de movimentação do um ponto (A) até um ponto (B) seja, suave, equilibrado e sem ruídos excessivos, independente do ambiente em que esteja, aumentando a vida útil do equipamento reduzindo ou até mesmo evitando a possível troca de cabos, mangueiras ou até a própria esteira no meio do processo.

A Murrplastik investe milhares de euros a cada ano em pesquisa e desenvolvimento de novas esteiras porta cabos, sempre buscando a melhoria contínua nos processos de produção, no lançamento de novos modelos cada vez mais fáceis e rápidos de montar sem que haja a necessidade do uso de ferramentas especiais, no máximo uma simples chave de fenda resolve o problema. Tudo isso visando a maior disponibilidade para o cliente desde o processo de instalação até manutenção do equipamento.

Para saber mais consulte http://murrplastik.com/cable-drag-chain-systems/.

Se o botão não estiver funcionando Clique Aqui!

Facebooktwitterlinkedin

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.