Espinha de Peixe — Conheça o Diagrama de Ishikawa

Espinha de Peixe — Conheça o Diagrama de Ishikawa

É fato que, apesar de contar com um fluxo de trabalho e produção constante, toda indústria tem problemas a serem resolvidos em algum momento, ainda mais pela complexidade dos processos. Entretanto, nem sempre é fácil identificá-los, e por essa razão foram criadas algumas ferramentas para ajudar no diagnóstico deles. Uma das principais é a espinha de peixe.

Também conhecida como Diagrama de Ishikawa, essa representação gráfica pode ser tudo o que faltava para que você resolva grandes problemas em seu chão de fábrica. Confira detalhes neste artigo e entenda!

O que é a espinha de peixe?

A espinha de peixe, ou Diagrama de Ishikawa, trata-se de uma das principais ferramentas da qualidade e pode ser usada para diagnosticar não só os problemas, mas também compreender as suas causas raiz.

Graficamente, o diagrama mostra uma linha reta e algumas ramificações em cima e embaixo, em diagonais direcionadas para a parte de trás da linha (daí o termo espinha de peixe).

Cada uma das linhas representa uma categoria que pode representar a causa do problema principal — são os seis “M”s:

  • método;
  • máquina;
  • meio-ambiente;
  • mão-de-obra;
  • medida;
  • matéria-prima.

Como utilizar o Diagrama de Ishikawa?

Para quem tem um bom conhecimento do negócio e de sua produção, utilizar o diagrama espinha de peixe é simples e não requer muitos procedimentos complexos. Comece “desenhando” a estrutura gráfica.

Para cada “M” (ignore os que não parecerem pertinentes) deve ser colocada uma possível causa para o problema a ser destrinchado. Para cada causa colocada, então, deve ser adicionada outra causa, chegando cada vez mais a um panorama mais “micro” da questão.

Um exemplo: imagine que o seu problema principal é uma queda repentina na produtividade. Ao desenhar o diagrama, você notou que havia dois problemas: máquinas que precisavam de manutenção e matérias-primas de baixa qualidade, que geravam perdas.

Ao ramificar ainda mais, você pode chegar à conclusão de que o novo fornecedor de matérias-primas não é bom, e também, se a manutenção das máquinas estiver em dia, que talvez a empresa contratada para tal não esteja fazendo um bom serviço ou até mesmo que é hora de trocar alguns dos equipamentos.

Quanto mais for possível ramificar uma causa, mais chances haverá de encontrar, na espinha de peixe, o ponto focal de seu problema geral e até mesmo as soluções para ele.

Agora que sabe mais sobre o Diagrama de Ishikawa, aproveite para ler mais sobre aplicações na automação industrial e confira como calcular OEE em seu chão de fábrica!

Facebooktwittergoogle_pluslinkedin

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.