EtherNet/IP Seguindo em Frente

EtherNet/IP Seguindo em Frente, rumo aos 20 anos

O que o Frisbee, a fita adesiva, e o pé de cabra têm em comum? Desiste? Nenhum deles mudou nadica de nada desde o dia em que foram criados. E, daqui a cinquenta anos, eles possivelmente serão a mesma coisa que são hoje.

Não se pode dizer o mesmo a respeito de EtherNet/IP e de sai tecnologia central, o CIP (Common Industrial Protocol) [Protocolo industrial comum]. Tem muita coisa rolando no mundo do EtherNet/IP. O EtherNet/IP está avançando rapidamente, a fim de melhorar a tecnologia, de se adaptar para as redes vindouras de performance mais alta e de se integrar com as Tecnologias de nuvem e IoT.

Faltam poucos anos para o EtherNet/IP chegar aos vinte anos de idade. Nessa longa história, centenas de aparelhos foram certificados e milhares de redes, com centenas de milhares de nós, estão operando com sucesso, ao redor do mundo. EtherNet/IP é o protocolo de I/O mais importante no mercado de Automação da América do Norte.

Se você é um integrador, um distribuidor, um engenheiro de controle ou outro profissional de automação, EtherNet/IP e CIP são como sapatos velhos para você. Já esteve lá – já fez isso. Você entende como configurar os aparelhos de EtherNet/IP. Você sabe como adicionar aparelhos de EtherNet/IP a PLCs ControlLogix. Você entende a diferença entre scanners e adaptadores. Você sabe tudo a respeito de arquivos EDS, de objetos Identify e de como funciona a troca de mensagens cíclica. Você é um especialista.

ATÉ AGORA.

Neste momento, há tanta atividade em andamento, que seria justo dizer que o EtherNet/IP vai mudar mais dentro dos próximos cinco anos do que desde a sua concepção. Há 20 SIGs (Grupos de Interesse Especial) – alguns com até 50 membros – trabalhando para expandir e melhorar a tecnologia. O grupo com mais tempo de operação está na reunião nº 754. Mesmo ao longo de quase 20 anos, ainda assim, isso é um baita monte de reuniões.

Na recente reunião anual da ODVA (Open Device Vendor Association) [Associação de Fornecedores de Aparelhos Abertos], foi discutida uma série de novos recursos – alguns já disponíveis e outros ainda em desenvolvimento:

Device Level Ring (DLR) [Anel de nível do dispositivo]: Se você não está usando um anel de nível de dispositivo no momento, provavelmente vai usar um no futuro. Este se tornou um caminho óbvio de tecnologia quando os interruptores [switches] de 2 portas integradas foram agregados aos produtos de automação. O DLR proporciona uma detecção muito rápida de falhas de rede e a reconfiguração da rede, a fim de manter os processos em operação. As redes em anel, às vezes, são capazes de se recuperarem de uma condição de falha num tempo tão curto quanto 3 ms.

Serviços de LED: Nas aplicações onde se tem uma quantidade de aparelhos de EtherNet/IP – em especial, onde os endereços de IP são designados mediante o uso de DHCP – com frequência, é difícil saber qual aparelho é qual. O EtherNet/IP está agregando novos serviços, os quais permitem que um Scanner pisque os LEDs de um aparelho Adaptador. Por sinal, isto é algo que tínhamos em DeviceNet e do qual sentimos falta quando o foi adotado o EtherNet/IP.

Segurança de CIP: Segurança é uma área bastante complicada, que requer conhecimento especializado. O Grupo de Interesse Especial de Segurança de CIP esta trabalhando em uma série de questões de especificação: fazendo reparos de seções de especificação incorreta, eliminando partes vagas e resolvendo seções em conflito. As regras para os aparelhos que podem se qualificar para Segurança de CIP estão sendo relaxadas. Hoje em dia, estas regras são muito restritivas – tão restritivas que aparelhos complexos, tais como os controladores, estão proibidos. Além disso, a especificação está sendo modificada para atender às exigências de SIL 3. Os aparelhos SIL 3 apresentam uma probabilidade de falha menor que a dos aparelhos SIL 2.

Cabeamento e Conectores: Os Grupos de Interesse Especial da camada física de EtherNet/IP estão abordando as questões de cabeamento associadas à Ethernet de 1 GB. A especificação irá detalhar as características dos cabos e conectores que devem ser usados com a Ehternet mais nova e mais rápida.

Novo Documento de Earthing and Bonding [Ligação à Terra e Continuidade Elétrica]: A ODVA lançou um documento de ligação à terra e continuidade elétrica bastante abrangente, com recomendações práticas para o emprego de sistemas de Ethernet dentro da fábrica.

PoE e PoDL: Eu admito que, até pouco tempo atrás, jamais tinha ouvido falar de PoDL, que se pronuncia como “poodle”. Significa Power over Data Lines [energia sobre linhas de dados]. O trabalho está avançando no sentido de tornar possíveis os aparelhos de EtherNet/IP distribuídos sem o cabeamento de energia.

Portas Múltiplas de EtherNet/IP: Agora, os aparelhos estão sendo desenvolvidos com portas múltiplas de Ethernet e identidades múltiplas de EtherNet/IP. Isso apresenta problemas para os Scanners, que precisam endereçar uma entre várias identidades de EtherNet/IP em um aparelho. O Grupo de Interesse Especial de Sistema está trabalhando para determinar como endereçar estes tipos de aparelhos.

Bloco de Configuração de Aparelho Expandido: Tem havido frustração com relação ao limite de 400 bytes para configuração de aparelhos. Isto está sendo abordado, mas não há uma data prevista para quando o limite será expandido.

A tecnologia de Ethernet está melhorando – estão aumentando as velocidades, estão sendo agregadas novas capacidades (por ex., a tecnologia embedded switch [interruptor embutido]), e o EtherNet/IP está respondendo com mecanismos para abordar estes avanços. Por exemplo, 100 Gig apresenta muitos problemas novos com respeito ao ruído, à construção de cabos, ao isolamento do conector e à ligação à terra. O EtherNet/IP não está ficando parado enquanto a tecnologia de Ethernet continua a seguir em frente.

Pelo que eu vi, o EtherNet/IP não está seguindo o caminho da fita adesiva, do Frisbee, do pé de cabra ou, mesmo, do Modbus. Há todo um mundo novo para aqueles de nós que fazem EtherNet/IP e, pessoalmente, eu mal posso esperar por ele.

EtherNet/IP pode ser complexo. Você dispõe de um recurso na RTA para responder às suas questões a respeito disso ou sobre como transferir qualquer parte dos seus dados pela sua fábrica e empresa.

Esse texto foi traduzido do Portal da RTA do autor John Rinaldi, quer saber mais sobre EtherNet/IP? Confira nossos outros posts sobre esse assunto: Protocolos de Redes, Conheça-os – Ethernet IP, Eu vou utilizar Ethernet Industrial, e agora?, 6 coisas que você deve saber sobre EtherNet/IP

 

E se ainda sobrou alguma dúvida

Se ainda sobrou alguma dúvida, clique no botão abaixo e receba uma ligação nossa.

Se o botão não estiver funcionando Clique Aqui!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *