Quais São as Abreviações da Automação Industrial Mais Utilizadas?

Quais São as Abreviações da Automação Industrial Mais Utilizadas?

Toda área tem seus termos específicos. Muitas vezes eles são abreviados para facilitar identificação em documentos e sistemas, por exemplo. É o caso das abreviações da automação industrial.

São diversas siglas que dizem respeito à aspectos específicos de certos sistemas ou listas, bem como protocolos e outras questões envolvendo correntes elétricas e potência. Quer saber mais sobre elas? Confira este artigo!

Quais são as abreviações da automação industrial que exigem atenção?

Entre tantas abreviações da automação industrial, algumas são mais utilizadas e, por isso, precisam ser mencionadas para que sejam compreendidas quando necessário. Confira abaixo a lista com as mais amplas:

  • AWG — unidade de medida para calibres de fios (American Wire Gauge);
  • CAT5e — categoria nº cinco de cabos (Category 5 Enhanced Cable);
  • CSMA/CD — múltiplo acesso por sensor de portadora com detecção de colisão (Carrier Sense Multiple Access with Collision Detection);
  • EMI — interferências eletromagnéticas (Eletromagnetic Interference);
  • FISCO — conceito de instalação de rede Fieldbus intrinsecamente segura (Fieldbus Intrinsically Safe Concept);
  • FNICO — conceito de instalação de rede Fieldbus não-acendível (Fieldbus Nonincendive Concept);
  • HART — protocolo de comunicação de rede (Highway Addressable Remote Transducer);
  • HDLC — controle de enlace de dados de alto nível (High-level Data Link Control);
  • OSI — modelo arquitetural definido em sete camadas, da maior para a menor, respectivamente: aplicação, apresentação, sessão, transporte, rede, enlace, física (Open Systems Interconnection);
  • PELV —  fonte de alimentação com proteção a baixa tensão e isolamento de segurança (Protective Extra Low Voltage);
  • SNMP — protocolo de gerenciamento simples de rede (Simple Network Management Protocol);
  • SPURS — derivação do barramento principal
  • STUBS — derivação do SPUR;
  • SPLICE — trechos de cabos alterados para conexão de equipamentos;
  • SDCD ou DCS — sistema digital de controle distribuído (Distributed Control System);
  • GSD — arquivos de descrição de equipamentos (Generic Station Description Files);
  • PID — algoritmo de controle baseado em ações Proporcional-Integral-Derivativo;
  • UDP — protocolo de datagrama do usuário (User Datagram Protocol);
  • HSE — protocolo FF para troca de dados via ethernet (High Speed Ethernet);
  • PLM — método de gerenciamento abrangente dos processos no decorrer do ciclo de vida o produto, desde o desenvolvimento até a fabricação e às vendas (Product Lifecycle Management);
  • POP — sistema que coleta informações por meio de uma placa de IR, leitor de códigos de barras e outros dispositivos durante intervalos definidos durante o dia. (Point of Production);
  • IR — Infra Red (infra vermelho)
  • PLC (CLP) — Controlador lógico programável
  • RAS — dividido em três partes: confiabilidade, disponibilidade e facilidade de manutenção (Reliability, Availability e Serviceability);
  • OEE — índice que mede eficiência das máquinas (Overall Equipment Effectiveness).

Gostou de saber mais sobre as abreviações da automação industrial? Esquecemos alguma sigla? Sugira para nós nos comentários e confira mais artigos como esse no blog da Murrelektronik!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *