Revolução Industrial 4.0

Qual é a diferença da Revolução Industrial 4.0 para as outras?

As transformações ocorridas nas Revoluções Industriais representam bem o avanço dos processos tecnológicos da humanidade. A invenção da eletricidade, o advento da informática, da internet e dos sistemas automatizados e digitais, tudo isso tem um papel de grande importância na modernização produtiva, principalmente, na Revolução Industrial 4.0.

Por isso, quando tratamos da Revolução Industrial 4.0, observamos o maior nível já alcançado da automatização industrial e um visível crescimento da eficiência da produção. 

A temática, além de ser interessante, auxilia no entendimento dos avanços tecnológicos humanos e na melhoria técnica e produtiva dos grandes polos industriais. Confira este artigo na íntegra e saiba mais!

 

Entenda a revolução industrial 4.0

Entre todas as revoluções significativas ocorridas no ciclo produtivo, sem dúvidas, a conhecida como manufatura avançada, ou melhor, Indústria 4.0, é a mais representativa e transformadora, diferente de qualquer fase que a humanidade já tenha vivenciado. E é marcada pela ligação de diversas tecnologias digitais, físicas e biológicas.

São algumas delas:

  • Internet das coisas: Ou IoT, conecta objetos físicos com dispositivos digitais, trocando e coletando dados e executando uma função específica de maneira coordenada. As aplicações de wearables (tecnologias vestíveis pelo ser humano) aumentarão de forma exponenciar a captação de dados para diversos fins;
  • Manufatura aditiva: Ou impressão 3D, é voltada à fabricação de objetos únicos, por deposição de materiais, possibilitando que a indústria, por exemplo, possa atender demandas específicas como prototipação ou produção em baixa escala, dentro de custos factíveis.
  • Inteligência artificial: Ou IA, pretende se aproximar de uma inteligência similar à humana relacionada ao raciocínio, à tomada de decisões, produção de tarefas e resoluções de problemas e está presente nos softwares, mecanismos e robôs. Machine learning permitirá que “máquinas” aprendam de forma acelerada, para que possam resolver problemas focados com grande quantidade de dados;
  • Sistemas Ciber-físicos: Ou CPS permitirão a interação do mundo computacional, como a Inteligência Artificial, por exemplo, diretamente no mundo físico a partir de dispositivos, máquinas ou robôs. Aplicações de automação industrial, automação predial ou tecnologia embarcada possibilitarão que decisões computacionais gerem atividades físicas.
  •  

A chamada Revolução Industrial 4.0, termo utilizado pela primeira vez na Feira de Hannover em 2011, na Alemanha, tem como principal objetivo relacionar o modelo de produção centrado nas inovações tecnológicas, aplicando técnicas que proporcionam o aumento da produtividade e eficiência produtiva.

Desta forma, as empresas poderão desenvolver redes inteligentes e controlar a si mesmas, ganhando cada vez mais autonomia e liberdade em relação à mão de obra humana. Assim, os processos tendem a ser cada vez mais customizáveis, permitindo o agendamento de manutenção, prevenção de falhas e rápidas adaptações. 

Essas características permitem que novos modelos de negócio surjam e sejam focados em necessidades e soluções. Podemos dizer que um dos maiores pilares da manufatura avançada é tornar os processos produtivos mais personalizados e interdependentes. Fato que ainda não era tão bem desenhado nas revoluções anteriores.

Na quarta revolução, passaram a ser buscadas operações mais rápidas e instantâneas, máquinas interconectadas à cadeia produtiva, estudo de dados, informações e descentralização da produção.

Antes, a comunicação de dados na Automação Industrial

Antes de apresentarmos a linha histórica das Revoluções Industriais, gostaríamos de dizer porque este assunto está presente em nosso Blog: a Murrelektronik vive a Indústria 4.0 todos os dias. A comunicação de dados de comando, gestão e a coleta de informações em chão de fábrica para a tomada de decisões é o que move a Murrelektronik.

Se você chegou até este texto e a automação industrial é um dos seus grandes assuntos, sugiro que você clique aqui para ler nosso artigo sobre o uso de todos os tipos de Redes Industriais do mercado. Fizemos uma leitura sobre (quase) todas as Redes Industriais baseadas em Ethernet ou as famosas redes baseadas em Fieldbus.

A aplicação da comunicação de dados industrial em projetos de automação é foco deste artigo, assim, se este assunto for do seu interesse terá neste texto uma excelente fonte de informações e orientações.

 

As revoluções ao longo do tempo

Ao longo da história da humanidade, três grandes revoluções trouxeram transformações inimagináveis no âmbito social e econômico. A primeira delas teve início na Inglaterra, em meados do século XVIII (1760 a 1830).

O principal marco do período foi o desenvolvimento da máquina a vapor, fato que proporcionou um aumento na eficiência na produção têxtil, passando da produção manual à mecanizada.

Já na segunda grande revolução (1850 a 1870), podemos observar avanços tecnológicos com a utilização mais desenfreada da eletricidade, além da ampla utilização de fontes de combustíveis fósseis, o que levou à manufatura em massa.

A terceira revolução ocorreu em um momento crítico, logo após a Segunda Guerra Mundial, já no século XX. O período englobou mudanças que ultrapassaram inovações na produção, nesse momento, são inicialmente estruturadas as primeiras relações entre estudos científicos e produção.

Devido a isso, a revolução ficou conhecida como tecnocientífica. Nesse momento, aconteceu a chegada dos eletrônicos, da telecomunicação e da tecnologia da informação.

“A quarta revolução industrial, no entanto, não diz respeito apenas a sistemas e máquinas inteligentes e conectadas. Seu escopo é muito mais amplo. Ondas de novas descobertas ocorrem simultaneamente em áreas que vão desde o sequenciamento genético até a nanotecnologia, das energias renováveis à computação quântica. O que torna a quarta revolução industrial fundamentalmente diferente das anteriores é a fusão dessas tecnologias e a interação entre os domínios físicos, digitais e biológicos” (Klaus Schwab, em A Quarta Revolução Industrial).

Revolução Industrial 4.0

Leia também: Qual a diferença entre automação industrial e mecatrônica?

 

As singularidades da Revolução Industrial 4.0

Resumidamente, podemos perceber as transformações em cada um dos períodos da Revolução Industrial e como cada um dos processos foi crucial para que acontecessem diversos avanços, não apenas na produção industrial, como também nos setores sociais e econômicos da sociedade.

A maior singularidade da Revolução Industrial 4.0 é a integração dos processos, que possibilita a associação da realidade ao digital. Por meio de tecnologias cada vez mais avançadas, foi possível desenvolver “indústrias inteligentes”, automatizadas e customizáveis a cada tipo de necessidade.

Outra mudança reconhecível é a previsibilidade, a indústria 4.0 possibilitou realizar previsões, ou seja, é possível reconhecer possíveis falhas e agendar processos de forma automatizada.

Não podemos deixar de citar a ampla interligação dos processos produtivos com a rede mundial de computadores, fato que possibilitou a descentralização da produção e tornou os processos mais interdependentes da ação humana.

 

Impacto da Revolução Industrial 4.0

A transformação sem precedentes provocada pela Revolução Industrial 4.0 já é observada em diversos setores da sociedade.

Aos entusiastas e mais otimistas em relação à essa nova realidade, os benefícios são incontáveis: para nações realmente engajadas na inovação, a revolução pode impactar positivamente a qualidade de vida de populações inteiras ao redor do mundo.

Pensando nos processos industriais, a possibilidade de tomada de decisão em tempo real e de forma instantânea, o uso de sensores que rastreiam e monitoram os processos, a descentralização dos módulos e softwares orientados a serviços ligados à internet de serviços são alguns dos pontos que mais chamam a atenção na Revolução Industrial 4.0

Pensando nisso, será necessário muito investimento em pesquisas e no desenvolvimento contínuo dos processos e serviços para que a adaptação aconteça. Além disso, os próprios funcionários precisarão se adequar ao formato novo. 

 

Cenário brasileiro

Considerando o Brasil na Revolução Industrial 4.0, esbarramos em alguns desafios, mas que se tornam motivações se observadas por um prisma mais abrangente. Evoluímos em muitas questões, mas caminhamos na fase inicial.

De acordo com a Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI), estima-se que ao menos 15% das indústrias brasileiras estarão inseridas na Indústria 4.0 nos próximos 10 anos. E, segundo uma pesquisa desenvolvida pela FIESP (Federação das Indústrias do Estado de São Paulo) 55% das empresas brasileiras estão iniciando os processos de implementação de inovações da Indústria 4.0 na organização.

Em termos de redução de custos industriais, a migração da indústria para a 4.0 vai reduzir os custos em cerca de 73 bilhões/ano no país, ainda de acordo com a ABDI, além de 7 bilhões/ano em economia de energia.

Ainda há muito a se aprender e esperar da evolução global que será presenciada em todos os níveis da sociedade com a Revolução Industrial 4.0.

Gostou deste conteúdo? Confira mais artigos como este no blog da Murrelektronik!

Facebooktwitterlinkedin

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.